s
Iscas Intelectuais
Encontro Roberto Motta e Luciano Pires
Encontro Roberto Motta e Luciano Pires
Roberto Motta e Luciano Pires numa manhã de conversas ...

Ver mais

Corrente pra trás
Corrente pra trás
O que vai a seguir é um capítulo de meu livro ...

Ver mais

O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
A Omny Studio, plataforma global na qual publico meus ...

Ver mais

O campeão
O campeão
Morreu Zagallo. Morreu o futebol brasileiro que aprendi ...

Ver mais

Café Brasil 931 – Essa tal felicidade
Café Brasil 931 – Essa tal felicidade
A Declaração de Independência dos Estados Unidos foi um ...

Ver mais

Café Brasil 930 – A Escolha de Sofia
Café Brasil 930 – A Escolha de Sofia
Tomar decisões é uma parte essencial do dia a dia, ...

Ver mais

Café Brasil 929 – Desobediência Civil
Café Brasil 929 – Desobediência Civil
O livro "Desobediência Civil" de Henry David Thoreau é ...

Ver mais

Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Láááááááá em 2004 eu lancei meu livro Brasileiros ...

Ver mais

LíderCast 325 – Arthur Igreja
LíderCast 325 – Arthur Igreja
O convidado de hoje é Arthur Igreja, autor do ...

Ver mais

LíderCast 324 – Cristiano Corrêa
LíderCast 324 – Cristiano Corrêa
Hoje trazemos Cristiano Corrêa, um especialista no ...

Ver mais

LíderCast 323 – Sérgio Molina
LíderCast 323 – Sérgio Molina
O convidado de hoje é Sérgio Molina, – atual CEO do ...

Ver mais

LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
Rodrigo Rezende, carioca, empreendedor raiz, um dos ...

Ver mais

Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola, ...

Ver mais

Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live inaugural da série Café Com Leite Na Escola, ...

Ver mais

Café² – Live com Christian Gurtner
Café² – Live com Christian Gurtner
O Café², live eventual que faço com o Christian ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Protagonismo das economias asiáticas
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Protagonismo das economias asiáticas   “Os eleitores da Índia − muitos deles pobres, com baixa escolaridade e vulneráveis, sendo que um em cada quatro é analfabeto − votaram a favor de ...

Ver mais

Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial   “O capitalismo é, essencialmente, um processo de mudança econômica (endógena). O capitalismo só pode sobreviver na ...

Ver mais

Inteligência de mercado (Business intelligence)
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A importância da inteligência de mercado[1] Considerações iniciais Este artigo tem por objetivo ressaltar a importância da inteligência de mercado no competitivo mundo contemporâneo, por se ...

Ver mais

Americanah
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Americanah   “O identitarismo tem duas dimensões, uma dimensão intelectual e uma dimensão política, que estão profundamente articuladas, integradas. A dimensão intelectual é resultado ...

Ver mais

Cafezinho 629 – O luto político
Cafezinho 629 – O luto político
E aí? Sofrendo de luto político? Luto político é quando ...

Ver mais

Cafezinho 628 – Crimes de Honra
Cafezinho 628 – Crimes de Honra
A Corte Constitucional da França recentemente declarou ...

Ver mais

Cafezinho 627 – O Pum da Vaca
Cafezinho 627 – O Pum da Vaca
O físico Richard Feynman tem uma frase ótima: "A ...

Ver mais

Cafezinho 626 – A Globo já era?
Cafezinho 626 – A Globo já era?
A internet mudou tudo. Ela acabou com os ...

Ver mais

The Great Resignation

The Great Resignation

Luiz Alberto Machado - Iscas Econômicas -

The Great Resignation

 Das diversas áreas de especialização da economia, considero uma das mais complexas a da economia do trabalho, que, em 2010, rendeu o Prêmio Nobel aos americanos Peter Diamond e Dale Mortensen e ao cipriota radicado na Inglaterra Charles Pissarides. Na ocasião, o Banco Central da Suécia, responsável pela concessão do Nobel de Economia, justificou a indicação afirmando que “a teoria criada por Diamond, Mortensen e Pissarides visa explicar como uma taxa de desemprego elevada pode, às vezes, subsistir a despeito de uma oferta de empregos largamente disponível”. Seus modelos, continua o comunicado, “ajudam a entender como o desemprego, as vagas e os salários são afetados pela regulação e pela política econômica”.

As flutuações no nível de emprego, porém, estão longe de serem afetadas apenas pela regulação e pela política econômica, exigindo dos analistas atenção para diversos outros fatores, entre os quais o alcance e a qualidade do sistema educacional, o maior ou menor grau de abertura da economia, o posicionamento dos diferentes países quanto aos fluxos migratórios e, por que não, os efeitos de uma crise econômico-financeira ou de uma situação inesperada como foi a pandemia da Covid 19. Não raras vezes, alguns desses fatores se combinam, aparecendo simultaneamente.

Como parte dessa complexidade – e sinalizando, quem sabe, para uma tendência relativamente nova -, observamos hoje um fenômeno conhecido como Great Resignation, cuja tradução pode ser Grande Renúncia ou, mais livremente, Grande Demissão.

Embora sintomas desse fenômeno tenham surgido anteriormente, ele foi impulsionado pela pandemia da Covid 19, que teve como uma de suas consequências o surgimento de um novo relacionamento entre as empresas, diante da necessidade de flexibilizar  normas extremamente rígidas, e os trabalhadores, que passaram a trabalhar em suas próprias residências (home office).

Percebendo as novas possibilidades oferecidas por essa nova situação,  um número considerável de trabalhadores optou por pedir demissão, voluntariamente, em plena pandemia. Mais tarde, com o fim das restrições ao convívio social, outro contingente significativo não se interessou em retornar ao tradicional sistema presencial, ampliando o espectro dos demissionários voluntários.

O fenômeno é mais frequente em países desenvolvidos, como os Estados Unidos, cujo índice de desemprego é baixo e o mercado de trabalho está aquecido. Lá, mais de 4 milhões de norte-americanos deixam seus empregos voluntariamente por mês.

Evidentemente, o fenômeno não se estende a toda a população, mas a um grupo privilegiado, geralmente de perfil jovem, masculino e de escolaridade alta, que não vê grandes dificuldades para se recolocar no mercado de trabalho, quer na condição de funcionário, quer como empreendedor[1].

Segundo levantamento do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), no Brasil, entre julho de 2021 e julho de 2022, foram registrados 6,5 milhões de pedidos de demissão de trabalhadores com carteira assinada, em que pese a conjuntura marcada por alto índice de desemprego, inflação elevada e taxa de juros contracionista.

De acordo com pesquisa encomendada pela Você S/A ao estúdio de inteligência de dados Lagom Data, todos os meses quase 500 mil brasileiros pedem demissão, o dobro do registrado nos anos anteriores à pandemia. Entre os principais motivos que levam à demissão voluntária no Brasil destacam-se: a busca por realização pessoal, além da profissional, por meio de mais flexibilidade no trabalho e da priorização da saúde mental, mantendo distância de ambientes corporativos considerados tóxicos.

E, apesar dos esforços das organizações, o fenômeno ainda não acabou. Estudo divulgado recentemente pelo Capgemini Research Institute[2] envolvendo 2.250 indivíduos de 750 organizações indica que 34% dos funcionários planejam deixar sua empresa atual dentro de um ano.

Encerro mencionando um aspecto no mínimo intrigante revelado pelo referido estudo:

“Enquanto 92% dos líderes acreditam que os funcionários que gerenciam estão felizes no trabalho, nosso relatório mostra que apenas 30% dos funcionários se sentem da mesma forma. Os trabalhadores citam a falta de equilíbrio entre vida profissional e pessoal, oportunidades de qualificação e envolvimento em modelos de trabalho híbridos como os principais fatores que levam a uma divisão entre o que os líderes pensam e como os funcionários se sentem.”

 

Iscas para ir mais fundo no assunto

 Referências

MACHADO, Luiz Alberto. Nobel de 2010 contempla área de economia do trabalho. Disponível em https://www.souzaaranhamachado.com.br/?s=Nobel+2010.

_______________ A aparente contradição entre desemprego e escassez de mão de obra. Disponível em https://portalcafebrasil.com.br/iscas-intelectuais/a-aparente-contradicao-entre-desemprego-e-escassez-de-mao-de-obra/.

[1] No Brasil, em particular, o fenômeno é registrado com mais intensidade nas áreas de tecnologia da informação e inteligência artificial.

[2]  O relatório completo da pesquisa está disponível em https://prod.ucwe.capgemini.com/wp-content/uploads/2022/10/People-Experience-Research_Report_web.pdf.

Ver Todos os artigos de Luiz Alberto Machado