s
Iscas Intelectuais
Encontro Roberto Motta e Luciano Pires
Encontro Roberto Motta e Luciano Pires
Roberto Motta e Luciano Pires numa manhã de conversas ...

Ver mais

Corrente pra trás
Corrente pra trás
O que vai a seguir é um capítulo de meu livro ...

Ver mais

O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
A Omny Studio, plataforma global na qual publico meus ...

Ver mais

O campeão
O campeão
Morreu Zagallo. Morreu o futebol brasileiro que aprendi ...

Ver mais

Café Brasil 930 – A Escolha de Sofia
Café Brasil 930 – A Escolha de Sofia
Tomar decisões é uma parte essencial do dia a dia, ...

Ver mais

Café Brasil 929 – Desobediência Civil
Café Brasil 929 – Desobediência Civil
O livro "Desobediência Civil" de Henry David Thoreau é ...

Ver mais

Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Láááááááá em 2004 eu lancei meu livro Brasileiros ...

Ver mais

Café Brasil 927 – Quando a água baixar
Café Brasil 927 – Quando a água baixar
A história de Frodo Bolseiro em "O Senhor dos Anéis" ...

Ver mais

LíderCast 324 – Cristiano Corrêa
LíderCast 324 – Cristiano Corrêa
Hoje trazemos Cristiano Corrêa, um especialista no ...

Ver mais

LíderCast 323 – Sérgio Molina
LíderCast 323 – Sérgio Molina
O convidado de hoje é Sérgio Molina, – atual CEO do ...

Ver mais

LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
Rodrigo Rezende, carioca, empreendedor raiz, um dos ...

Ver mais

LíderCast 321 – Rafael Cortez
LíderCast 321 – Rafael Cortez
Tá no ar o #LC321 O convidado de hoje é Rafael Cortez, ...

Ver mais

Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola, ...

Ver mais

Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live inaugural da série Café Com Leite Na Escola, ...

Ver mais

Café² – Live com Christian Gurtner
Café² – Live com Christian Gurtner
O Café², live eventual que faço com o Christian ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Protagonismo das economias asiáticas
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Protagonismo das economias asiáticas   “Os eleitores da Índia − muitos deles pobres, com baixa escolaridade e vulneráveis, sendo que um em cada quatro é analfabeto − votaram a favor de ...

Ver mais

Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial   “O capitalismo é, essencialmente, um processo de mudança econômica (endógena). O capitalismo só pode sobreviver na ...

Ver mais

Inteligência de mercado (Business intelligence)
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A importância da inteligência de mercado[1] Considerações iniciais Este artigo tem por objetivo ressaltar a importância da inteligência de mercado no competitivo mundo contemporâneo, por se ...

Ver mais

Americanah
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Americanah   “O identitarismo tem duas dimensões, uma dimensão intelectual e uma dimensão política, que estão profundamente articuladas, integradas. A dimensão intelectual é resultado ...

Ver mais

Cafezinho 328 – Crimes de Honra
Cafezinho 328 – Crimes de Honra
A Corte Constitucional da França recentemente declarou ...

Ver mais

Cafezinho 627 – O Pum da Vaca
Cafezinho 627 – O Pum da Vaca
O físico Richard Feynman tem uma frase ótima: "A ...

Ver mais

Cafezinho 626 – A Globo já era?
Cafezinho 626 – A Globo já era?
A internet mudou tudo. Ela acabou com os ...

Ver mais

Cafezinho 625 – Fake news que matam
Cafezinho 625 – Fake news que matam
Há tempos eu digo que saímos da Sociedade da Informação ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 3 – Gramática Geral (parte 1)

Trivium: Capítulo 3 – Gramática Geral (parte 1)

Alexandre Gomes - Iscas Conhecimento -

Novo capítulo, nova pegada! O que você viu até agora era voltado à comunicação e como a linguagem realmente funciona. Imagino que você tenha notado uma coisa importante: as línguas e as palavras podem, e vão, mudar com o passar do tempo. E isso irá acompanhar a agudeza de nossas mentes, nossa inteligência – não a individual, mas a coletiva.

Mas isso não quer dizer que aquela conversa de que se prender a formalismos e regras é um erro tem algum sentido. Não tem. é bobagem para emburrecer quem quer ser melhor que é, preguiça e/ou malandragem de quem deveria ensinar a gramática formal.

Bom, feita esta introdução (meio longa), vamos ao que interessa agora.

 

Qual a diferença do que será apresentado aqui, daquilo que estudamos (ou toleramos) durante nossos anos de escola?

Esta GRAMÁTICA GERAL trata da relação das palavras com as ideias e com a realidade.

Enquanto a Gramática Especial (a que eu e você estudamos do primário até o colegial)diz respeito principalmente à RELAÇÃO DAS PALAVRAS COM AS PALAVRAS. não importa se estudamos uma gramática para aprender nossa língua materna ou um segundo idioma. Ou seja, Gramáticas especiais ensinam aquela história de concordância entre sujeito e verbo quanto à pessoa e número.

Portanto, a Gramática Geral é mais filosófica, porque está mais diretamente relacionada à Lógica e à Metafísica.

 

E agora iremos começar a complicar um pouco as coisas, pois agora virão os palavrões.

 

A Gramática Geral distingue, separa, as palavras em dois grandes grupos:

 

  1. Palavras CATEGOREMÁTICAS;

 

  1. Palavras SINCATEGOREMÁTICAS.

 

Palavrões. Eu avisei.

 

Vou tentar simplificar as coisas por aqui. As palavras categoremáticas são autônomas. Pois elas têm sentido por si próprias; ou seja, ou são substantivos ou são adjetivos. Dizendo de outra forma: palavras categoremáticas dão nome a coisas ou a qualidades de algo.

 

E já que falei sobre Filosofia, uma boa associação pode ser feita aqui. As palavras categoremáticas podem ser facilmente classificadas nas 10 Categorias do SER! (só lembrando as categorias: 1 substância e 9 acidentes). Dito isso, fica fácil perceber como as Dez Categorias se distribuem entre os dois tipo de palavras categoremáticas:

 

  1. SUBSTANTIVAS: palavras que simbolizam substâncias;
  2. ATRIBUTIVAS: palavras que simbolizam acidentes.

 

Já as palavras sincategoremáticas (Santo Deus…), são aquelas que só têm significado junto a outras palavras. Pois, se analisadas sozinhas, não podem ser classificadas nas categorias do Ser que citei ali em cima. As palavras sincategoremáticas também se dividem em dois grupos

 

  1. DETERMINATIVAS, que chamam a atenção para as substâncias;

 

  1. CONECTIVAS, que ligam ou palavras ou frases, ou sujeitos e predicados.

 

Vou fazer uma analogia insólita para esclarecer todos esse palavrório: Na MATEMÁTICA, os números, ângulos, etc. equivalem aos símbolos CATEGOREMÁTICOS, enquanto +, -, %, ÷, √ , =, etc. são símbolos SINCATEGOREMÁTICOS.

 

Os números têm significado SOZINHOS, já os símbolos das operações, ou até mesmo o símbolo de “igual a” (=) fica sem significado caso não existam numerais de cada um dos seus lados.

Pois bem, na Gramática Geral temos DEZ CATEGORIAS de PALAVRAS, todas decorrentes dos dois primeiros grupos que falei (os palavrões: Categoremáticos e Sincategoremáticos). vou listar todas as categorias logo abaixo:

 

CATEGOREMÁTICAS:

Substantivas:

  • substantivos [1]; (bola, árvore, pedra)
  • pronomes [2]; ( ele, ela, teu, mim, dela, Sua Eminência, Vossa Majestade)

 

Atributivas:

  Primárias:

  • verbos (e inflexões) [3]; (voar, andando, nadei)
  • adjetivos [4]; (claro, duro, saboroso)

os verbos e adjetivos são atributos da substância!

 

  Secundárias:

  • advérbios [5]; (aqui, nunca, nem, pouco, talvez)

os advérbios são atributos dos atributos!

 

SINCATEGOREMÁTICAS:

Determinativas:

  • artigos [6]; (o, a, um, uma)
  • dêicticos [7];

 

Determinativas:

  • preposições [8] (conectam palavras); (como, afora, conforme)
  • conjunções [9] (conectam frases – implícitas ou explícitas); (e, ainda, então, logo)
  • pura cópula [10] (conecta sujeito e predicado). (Juliana é morena)

 

Certo… o que é cópula, não é? Significa ligação, união, ou seja, CÓPULA é a palavra que, em uma frase, liga o sujeito (S) ao predicado (P) seguindo o modelo básico de S é P. Nesta situação o verbo ser (flexionado) é TAMBÉM uma CÓPULA.

Para finalizar este texto, vou listar uma categoria que não merece estar na lista acima.

 

Interjeições

Sim, as interjeições são uma categoria de palavras mas, diferente das já listadas antes porque elas não podem ser assimiladas à estrutura de uma frase. Mesmo quando uma interjeição é uma palavra, que vista fora do seu contexto, seja classificada em uma das categorias, no momento em que ela é usada como INTERJEIÇÃO está sozinha.

 

Exemplo: Quando eu digo para você: Coragem!

Eu estou te animando a continuar algo, mas a palavra ali não é um substantivo abstrato, e sim uma INTERJEIÇÃO! (ou seja, é uma expressão de animação). Principalmente porque estou expressando uma emoção e não um pensamento.

Ver Todos os artigos de Alexandre Gomes