s
Videocasts Café Brasil
Pelé e os parasitas.
Pelé e os parasitas.
Meu herói está lá, a Copa de 1970 está lá, o futebol ...

Ver mais

Branding a preço de banana.
Branding a preço de banana.
Quanto vale o branding? Pelo que estou vendo acontecer ...

Ver mais

O Tigre Branco. Ou poderia ser Cidade de Budah…
O Tigre Branco. Ou poderia ser Cidade de Budah…
Um grande comentário sócio-político sobre a divisão em ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Café Brasil 758 – LíderCast César Menotti
Café Brasil 758 – LíderCast César Menotti
Há muito tempo tínhamos a ideia de trazer para o ...

Ver mais

Café Brasil 757 – O dono da firma
Café Brasil 757 – O dono da firma
Vamos então a mais um programa que fala do empreendedor ...

Ver mais

Café Brasil 756 – Netiqueta e as mulas digitais
Café Brasil 756 – Netiqueta e as mulas digitais
Usar a internet de forma responsável, é isso que trata ...

Ver mais

Café Brasil 755 – Alfabestismo digital
Café Brasil 755 – Alfabestismo digital
Conhecimento sempre significou poder. Transitamos ...

Ver mais

LíderCast 217 – Amyr Klink
LíderCast 217 – Amyr Klink
Meu nome é Amyr Klink, tenho 65 anos e eu construo viagens.

Ver mais

LíderCast 216 – Denise Pitta
LíderCast 216 – Denise Pitta
Empreendedora digital, dona do site Fashion Bubbles, ...

Ver mais

LíderCast 215 – Marco Antonio Villa
LíderCast 215 – Marco Antonio Villa
Historiador, professor, comentarista polêmico em rádio ...

Ver mais

LíderCast 214 – Bianca Oliveira
LíderCast 214 – Bianca Oliveira
Jornalista e apresentadora, hoje vivendo na Europa, ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Leitura cafezinho 303 – Cérebro médio
Leitura cafezinho 303 – Cérebro médio
Escolha um tema quente, dê sua opinião e em seguida ...

Ver mais

Autonomia do Banco Central
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Caminhando rumo à autonomia do Banco Central ˜O desejo parece ser o de que a política econômica saia de uma vez por todas da alçada dos presidentes da república. […]. Delega-se para a diretoria ...

Ver mais

DSM-5: Thomas Insel, Thomas Szasz e Simão Bacamarte
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Em 2013, o neurocientista Thomas Insel criticou o lançamento do DSM-5. Ele escreveu que “diferentemente das definições de isquemia cardíaca, linfoma e Aids, os diagnósticos do DSM são ...

Ver mais

Ciência e Mito na Pandemia
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Neste tempo de controvérsias de todos os tipos a respeito do Covid-19, é preciso perceber que há vários grupos econômicos com forte interesse em um ou outro tipo de biopolítica – as ...

Ver mais

O essencial e o acessório
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O essencial e o acessório Em 1984 ocorreu uma ampla reforma curricular nos cursos de ciências econômicas que instituiu uma série de mudanças a serem obedecidas por todos os cursos ministrados no ...

Ver mais

Cafezinho 364 – Isolacionismo intelectual
Cafezinho 364 – Isolacionismo intelectual
O viés de confirmação leva ao isolacionismo ...

Ver mais

Cafezinho 363 – Chapeuzinho Vermelho 4.0
Cafezinho 363 – Chapeuzinho Vermelho 4.0
No Chapeuzinho Vermelho 4.0, tá cheio de lobo se ...

Ver mais

Cafezinho 362 – Na bala!
Cafezinho 362 – Na bala!
Se a constituição brasileira não proíbe que o deputado ...

Ver mais

Cafezinho 361 – Big Brother Brasil-sil-sil
Cafezinho 361 – Big Brother Brasil-sil-sil
Tudo o que é possível de ser tornado coletivo em grande ...

Ver mais

O cachorro de cinco pernas

O cachorro de cinco pernas

Luciano Pires -

Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de perna, hein?
Quatro.
Chamar o rabo de perna não faz do rabo uma perna.
Essa frase é atribuída a Abraham Lincoln e eu a usei na abertura do Cafezinho 147, quando falei da realidade fantasma, a realidade desejada e a realidade em si.
Diante das fontes não confiáveis de informações, apelamos para a realidade desejada, criando em nossas mentes o mundo que queremos, e vivendo nele como se fosse real. É aí que somos enganados, ludibriados, traídos, pela recusa de ver a realidade cruel. Até que aparece alguém que cospe a realidade na nossa cara.
A primeira coisa é entender que a realidade nem sempre é ideal como você a imagina ou colorida como alguém pintou. Comece aceitando-a como ela é. Aceite que a realidade tem coisas boas e ruins e se puder, foque nas coisas boas. Provavelmente você jamais conseguirá mudar a realidade, mas sempre pode mudar o jeito de reagir a ela.
Mas o mais importante é: aceite a realidade, mas não precisa se conformar com ela. Você pode e deve buscar formas de melhorá-la! Esse é o pensamento dos inovadores, dos transgressores que quebram regras e mudam o mundo para melhor. Eles sabem como é a realidade e assumem o compromisso de mudá-la.
Mas tome cuidado para não se transformar em mais um revolucionário de butique, o jovem dinâmico com a cabeça feita por algum dinossauro do século 18, que prega o céu no futuro a custa do inferno no presente. Um céu que jamais chega.
Bote sua energia em mudar a realidade para outra realidade possível, não para transformá-la na realidade fantasma de alguém. Ou na realidade desejada que só existe em seus sonhos.
A realidade fantasma e a realidade desejada têm um baita problema: é nelas que vive a turma que diz que rabo é perna.