s
Portal Café Brasil
Corrente pra trás
Corrente pra trás
O que vai a seguir é um capítulo de meu livro ...

Ver mais

O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
A Omny Studio, plataforma global na qual publico meus ...

Ver mais

O campeão
O campeão
Morreu Zagallo. Morreu o futebol brasileiro que aprendi ...

Ver mais

O potencial dos microinfluenciadores
O potencial dos microinfluenciadores
O potencial das personalidades digitais para as marcas ...

Ver mais

Café Brasil 934  – A Arte de Viver
Café Brasil 934  – A Arte de Viver
Durante o mais recente encontro do meu Mastermind MLA – ...

Ver mais

Café Brasil 933 – A ilusão de transparência
Café Brasil 933 – A ilusão de transparência
A ilusão de transparência é uma armadilha comum em que ...

Ver mais

Café Brasil 932 – Não se renda
Café Brasil 932 – Não se renda
Em "Star Wars: Episódio III - A Vingança dos Sith", ...

Ver mais

Café Brasil 931 – Essa tal felicidade
Café Brasil 931 – Essa tal felicidade
A Declaração de Independência dos Estados Unidos foi um ...

Ver mais

LíderCast 328 – Criss Paiva
LíderCast 328 – Criss Paiva
A convidada de hoje é a Criss Paiva, professora, ...

Ver mais

LíderCast 327 – Pedro Cucco
LíderCast 327 – Pedro Cucco
327 – O convidado de hoje é Pedro Cucco, Diretor na ...

Ver mais

LíderCast 326 – Yuri Trafane
LíderCast 326 – Yuri Trafane
O convidado de hoje é Yuri Trafane, sócio da Ynner ...

Ver mais

LíderCast 325 – Arthur Igreja
LíderCast 325 – Arthur Igreja
O convidado de hoje é Arthur Igreja, autor do ...

Ver mais

Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola, ...

Ver mais

Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live inaugural da série Café Com Leite Na Escola, ...

Ver mais

Café² – Live com Christian Gurtner
Café² – Live com Christian Gurtner
O Café², live eventual que faço com o Christian ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Vida longa ao Real!
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Vida longa ao Real!   “A população percebe que é a obrigação de um governo e é um direito do cidadão a preservação do poder de compra da sua renda. E é um dever e uma obrigação do ...

Ver mais

A Lei de Say e a situação fiscal no Brasil
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A Lei de Say e o preocupante quadro fiscal brasileiro   “Uma das medidas essenciais para tirar o governo da rota do endividamento insustentável é a revisão das vinculações de despesas ...

Ver mais

Protagonismo das economias asiáticas
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Protagonismo das economias asiáticas   “Os eleitores da Índia − muitos deles pobres, com baixa escolaridade e vulneráveis, sendo que um em cada quatro é analfabeto − votaram a favor de ...

Ver mais

Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial   “O capitalismo é, essencialmente, um processo de mudança econômica (endógena). O capitalismo só pode sobreviver na ...

Ver mais

Cafezinho 632 – A quilha moral
Cafezinho 632 – A quilha moral
Sua identidade não vem de suas afiliações, ou de seus ...

Ver mais

Cafezinho 631 – Quem ousa mudar?
Cafezinho 631 – Quem ousa mudar?
O episódio de hoje foi inspirado num comentário que um ...

Ver mais

Cafezinho 630 – Medo da morte
Cafezinho 630 – Medo da morte
Na reunião do meu Mastermind na semana passada, a ...

Ver mais

Cafezinho 629 – O luto político
Cafezinho 629 – O luto político
E aí? Sofrendo de luto político? Luto político é quando ...

Ver mais

The Ventures

The Ventures

Luciano Pires -

alt

The Ventures é uma banda instrumental estadunidense formada inicialmente como The Versatones em 1958 por Bob Bogle e Don Wilson, em Tacoma, Washington.

É conhecida por seus clássicos Walk Don’t Run, Surf Rider, Journey To The Star, Driving Guitars, Yellow Jacket e Bumble Bee Twist.

A banda começou de maneira independente, tocando em pequenos bares. Em 1959, Nokie Edwards (guitarra baixo) e Skip Moore (bateria) entraram para a banda. Na época, compuseram e gravaram “Walk Don’t Run”, um de seus maiores sucessos, mas nenhuma gravadora se interessou pelo som. A solução encontrada foi fundar uma pequena gravadora, a “Blue Horizon Records”, patrocinados pela mãe de Don Wilson. Trabalhando como seus próprios produtores, gravaram a música em formato single em vinil de 45 rpm e começaram a se auto-promover.

Ainda em 1959, um DJ de Seattle usou “Walk Don’t Run” como vinheta de abertura de um programa de rádio. Foi então que o empresário Bob Reisdorf, dono da Dolton Records, escutou, quis conhecer e acabou contratando os Ventures.

Em 1960, a música ocupou durante uma semana o segundo lugar na Billboard Top 100. Em 1968, outra música dos Ventures ficou famosa: “Hawaii 5-0”. Ela foi usada como trilha de abertura de um seriado policial com o mesmo nome.

Na virada dos anos 70 para os anos 80, a banda foi redescoberta pelo público punk e new wave interessado na surf music. A banda Go-Go’s até gravou uma música – “Surfin and Spying” – em sua homenagem. Nos anos 90, The Ventures ganharam outra grande publicidade, quando Quentin Tarantino incluiu a música “Surf Rider” na trilha sonora do filme de violência “Pulp Fiction”.

Na segunda ida do o grupo ao Japão, em 1965, época em que houve também a ida da banda The Astronauts, e apresentação conjunta com as bandas locais Jannys e Terauchi Takeshi and Blue Jeans, houve o “boom” da música instrumental de guitarra, com aumento da venda de discos e de guitarras elétricas. Foram vendidas 50.000 guitarras elétricas em 2 anos, levando à abertura de 120 fábricas para atender a demanda, e até fábricantes de máquinas de costura começaram a produzir guitarras. Foram abertos vários concursos e torneios de guitarras em programas de TV (FujiTV, NTV, NET) e por fabricantes de guitarras. A partir daí, The Ventures sempre associou a venda de discos com a venda de guitarras elétricas.

A banda sempre fez muito sucesso fora dos Estados Unidos, na Europa e principalmente no Japão. Dezenas de discos foram produzidos especialmente para o mercado japonês e, desde 1960 até hoje, The Ventures, anualmente, fica 3 meses e faz mais de 50 shows de auditório, em turnê pelo país oriental. Já fizeram mais de 2000 shows no Japão, onde têm um público fiel.

Os Ventures nunca cancelaram seus shows programados, mesmo na indisponibilidade de algum integrante.

Em 1996, tiveram as suas mãos eternizadas no “Rock Walk of Fame” de Hollywood.

Em 10 de março de 2008, The Ventures entraram para “Rock and Roll Hall of Fame” com a música Walk Don’t Run e Hawaii 5-0. Ano que comemorou os 50 Anos da Banda.

A Banda produziu mais de 200 álbuns em CD, 250 álbuns em formato LP e 150 (45rpm) compactos. Mais de 110.000.000 de unidades vendidas. 40.000.000 somente no Japão.

http://pt.wikipedia.org/wiki/The_Ventures

http://www.theventures.com/ – em inglês