s
Iscas Intelectuais
Isca Intelectual – O paraquedas de Da Vinci
Isca Intelectual – O paraquedas de Da Vinci
Cerca de 500 anos atrás, Leonardo da Vinci teve a ideia ...

Ver mais

Isca Intelectual – Música na cabeça e no corpo
Isca Intelectual – Música na cabeça e no corpo
Na isca de hoje, você verá Anna-Maria Helefe fazendo ...

Ver mais

Isca Intelectual – O mago Steve Ray Vaughn
Isca Intelectual – O mago Steve Ray Vaughn
Quando você domina sua técnica, tem repertório e ...

Ver mais

Isca Intelectual sobre talento
Isca Intelectual sobre talento
O que tinham feito suas mãos?

Ver mais

Café Brasil 834 – A Lei de Gresham
Café Brasil 834 – A Lei de Gresham
Quando lancei meu livro Brasileiros Pocotó em 2004, e ...

Ver mais

Café Brasil 833 – Rio, beleza e caos
Café Brasil 833 – Rio, beleza e caos
Um cantinho e um violão / Este amor, uma canção Pra ...

Ver mais

Café Brasil 832 – Carta Aberta Ao Brasil – Revisitado
Café Brasil 832 – Carta Aberta Ao Brasil – Revisitado
Em 2016 viralizou uma carta aberta ao Brasil, que um ...

Ver mais

Café Brasil 831 – Nossos problemas
Café Brasil 831 – Nossos problemas
Problemas, problemas, problemas.... todo mundo tem ...

Ver mais

LíderCast 237 – Marcus Kanieski
LíderCast 237 – Marcus Kanieski
No programa de hoje temos Markus Kanieski, advogado de ...

Ver mais

LíderCast 236 – Paulo Ganime
LíderCast 236 – Paulo Ganime
No programa de hoje temos Paulo Ganime, Deputado ...

Ver mais

LíderCast 235 – Gilberto Lopes
LíderCast 235 – Gilberto Lopes
Hoje a conversa é com Gilberto Lopes, o Giba, que é CEO ...

Ver mais

LíderCast 234 – Danilo Cavalcante
LíderCast 234 – Danilo Cavalcante
Hoje o convidado é o Danilo Cavalcante, que se diz ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

A boa e velha realidade
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Frases que começam com as expressões “Então…” ou “Veja bem…” não têm como dar certo. Caso o cidadão receba resposta principiando com essas pérolas, pode esperar: Vem chumbo. Você ...

Ver mais

A visão pornográfica de mundo
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
A minha família está passeando no Brasil. Eles estão aproveitando as férias escolares do nosso filho mais velho. Ontem uma menina de treze anos conversou com a Bruna, minha esposa. A menina lhe ...

Ver mais

Encontro de Cidades Criativas
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Encontro de Cidades Criativas  “As cidades surgem como espaço de encontro; uma cidade é um conjunto de pessoas com oportunidades distintas.” Ana Carla Fonseca A XIV Conferência da Rede de Cidades ...

Ver mais

Nós do Brasil
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Nós do Brasil  Nossas heranças e nossas escolhas “No Brasil, o futuro de uma criança está em grande parte determinado pelas condições socioeconômicas de sua família no momento do nascimento. ...

Ver mais

Cafezinho 515 – Você nunca foi tão hipócrita
Cafezinho 515 – Você nunca foi tão hipócrita
O convívio civilizado entre interesses conflitantes é ...

Ver mais

Cafezinho 514 – Saia da Zona da Indiferença
Cafezinho 514 – Saia da Zona da Indiferença
Zona da Indiferença é uma área onde quando forçados a ...

Ver mais

Cafezinho 513 – A lei de Gresham cultural
Cafezinho 513 – A lei de Gresham cultural
Existe um princípio econômico chamado Lei de Gresham, ...

Ver mais

Cafezinho 512 – O calo do dono
Cafezinho 512 – O calo do dono
Por muito tempo nos queixamos que não tínhamos ...

Ver mais

Chega de atalhos! É hora de agir com estratégia!

Chega de atalhos! É hora de agir com estratégia!

Sidnei Oliveira - Iscas Gerações -

Talento. Essa força enorme que afirmam estar presente em todas as pessoas, mas que poucos conseguem acessar. É constantemente confundido com um superpoder capaz de eliminar qualquer barreira e trazer sucesso incontestável a quem o possui. Com esse tipo de pensamento, nos acostumamos a acreditar que pessoas com talento não precisam se preocupar com nada, pois a solução para o problema simplesmente irá surgir transpondo qualquer processo racional ou lógico.

Tal conceito é uma armadilha quando apresentado como uma explicação para o fracasso pessoal, pois retira toda e qualquer possibilidade de interferência sobre o próprio desenvolvimento individual, ou seja, o caminho é sempre mais fácil e simples para quem tem talento.

Tenho observado diversos jovens buscando insanamente o seu talento, como forma de identificar uma “poção mágica” que irá facilitar muito sua vida pessoal e profissional. Nessa busca, é comum encontrar aqueles que estabelecem um processo de tentativa e erro para suas escolhas. Começam um curso e abandonam ao menor sinal de insatisfação. Iniciam em um emprego e pouco tempo depois buscam outro em que possam ter mais satisfação ou melhor reconhecimento financeiro. Quando são confrontados sobre essas alternâncias de escolhas, apressam-se em justificar a atitude como uma busca por desafios em que possam mostrar seus verdadeiros talentos.

Não é assim que vejo!

Ninguém realmente precisa de desafios para “mostrar” seu talento. Os desafios servem, na verdade, para desenvolver os talentos. Creio que essas atitudes demonstram apenas uma busca por atalhos que antecipem etapas e tragam satisfação e reconhecimento no menor tempo possível.

Olhar o talento como um atalho para uma trajetória de sucesso é tratar seus dons com displicência. Desenvolver os próprios talentos é doloroso, trabalhoso e demanda sacrifícios. O talento é exigente! Está sempre requisitando tempo e dedicação para que ele se desenvolva.

Depois de uma Copa Mundial de Futebol, na qual o que prevaleceu foi a estratégia do time alemão, que escolheu o longo caminho do desenvolvimento, é importante lembrarmos que os atalhos constroem pontes frágeis.

Por isso, chega de atalhos. Está na hora de agir com mais estratégia!

Ver Todos os artigos de Sidnei Oliveira